Português para Concursos - Dica de quem leu!

29 de Dezembro de 2011 Concursos
Em recentes pesquisas feitas sobre a memória humana, foi constatado que, o cérebro precisa ler no mínimo 3 vezes a mesma informação para assimilar todo o seu conteúdo e também precisa de um tempo para refletir sobre o que foi aprendido. Por isso que é tão importante o período de sono, pois é nele que o cérebro fixa cada informação importante.

Porém quando o assunto é concursos públicos, o entendimento é outro. Sejamos sinceros, o concurseiro hoje não tem tempo hábil para assimilar toda a matéria. Da publicação do edital até o dia da prova, são somente 2 meses.

Tudo bem que, quem realmente quer disputar uma vaga no serviço público, deve começar no mínimo, uns 6 meses antes a estudar as matérias básicas - como português, direito administrativo e direito constitucional - que costumam ser matérias base de quase todos os concursos. Porém, cada concurso costuma ter, no mínimo, de 5 à 8 matérias, chegando alguns a ter 15 matérias, como é o caso para Auditor Fiscal da Receita Federal. Temos que conseguir adequar a necessidade do nosso cérebro à realidade em que vivemos, por isso, ter um material de estudo objetivo é essencial. Quando eu digo material objetivo, eu falo em teoria e exercícios, porque são os exercícios que te farão fixar mais rapidamente o conteúdo lido. Imagina você ler a teoria de como jogar futebol e nunca jogar. No dia do jogo você pode até colocar em prática tudo que leu, mas com certeza, na hora decisiva irão aparecer imprevistos em que será preciso muito mais do que teoria, contará a experiência no assunto.

No caso dos concursos públicos, como matéria base, o Português é fundamental. E para essa matéria, eu indico a coleção de livros do Prof. Renato Aquino : Português para Concursos - Teoria e 900 questões; Interpretação de Textos - Teoria e 815 questões comentadas e Redação para Concursos - Teoria e Testes da Editora Impetus.

Posso resumir o conteúdo desses livros em uma só palavra: objetividade. De maneira muito simples e clara, o professor Renato Aquino explica passo a passo como é a matéria e como costuma cair em provas de concursos.
Você pode estar se perguntando: Mas Monique, como você pode provar o que você está dizendo? Bom, decidi estudar para fazer o concurso do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro. Comecei a estudar em Junho e fiz prova agora em novembro, tanto para o cargo de Técnico (nível médio) quanto para o cargo de Analista (nível superior). Uma dica para quem quer realmente estudar para concursos: esqueça as apostilas! Elas são todas iguais! só mudam as capas conforme o concurso, pois o conteúdo é o mesmo. Um bom estudo é feito de bons livros sobre o assunto.

Durante o tempo de preparação, lia a teoria do livro e resolvia as questões. A banca foi a Fundação José Bonifácio (uma derivada da NCE), uma banca que eu não sabia o que ia pedir, pois estava me baseando somente pelas referências da NCE. O resultado final das provas foi o seguinte: na prova de português para Analista, acertei 90% das questões com o que li nesse livro. Na prova de Técnico esse percentual subiu para 95%. Impossível? não. Se você tem foco naquilo que está fazendo e um bom material para usar, o resultado mais cedo ou mais tarde acaba aparecendo.

DICA - Quando iniciei meus estudos para concursos públicos, não tinha a menor preocupação com meu material de estudo, simplesmente comprava o que fosse mais barato e popular, apostilas e DVDs piratas de vídeoaulas, por exemplo. Depois fui observando que o barato sai caro, que os investimentos em bons livros, cursos e outras ferramentas, estavam diretamente relacionados com a qualidade do meu desempenho nas provas e, consequentemente, com minha futura aprovação.

Fonte: Monique Muniz - Editora do Blog Concurseira Net

Visitas: 2064
Categorias: Todas as Notícias | Área Jurídica | Área Policial | Carreiras | Concursos | Concursos | Entrevista | Eventos | Facebook | OAB

0 Comentário(s)