Memória: A grande aliada do concurseiro

25 de Janeiro de 2012 Concursos
O grande desafi o daqueles que almejam o sucesso em concursos públicos é estudar todo o programa exigido nos editais e conseguir chegar ao último
assunto lembrando-se do primeiro.

Desde cedo adquirimos o péssimo hábito de estudar para fazer provas, o que deve ser evitado a qualquer custo. Quem estuda por meio de técnicas de aprendizagem acelerada tem a grande vantagem de apreender os assuntos com muito mais facilidade, em menor tempo e permitindo que a matéria fique facilmente disponível na memória.

Estimular a concentração é um desafio diário. Por meio de práticas simples, mas eficientes, é possível melhorar a concentração e manter o foco nos estudos. Assim, recomendo:

obeber um copo de água a cada uma hora de estudo, aula ou prova;
opraticar exercícios físicos regularmente, principalmente esportes com bola;
o alongar-se pelo menos 3x ao dia: ao acordar, no início da tarde e antes de dormir;
omanter uma postura adequada durante os estudos, preservando as costas e o pescoço;
otreinar diariamente Leitura Dinâmica;
oevitar estudar no silêncio absoluto. Preferir ler ouvindo música erudita ou instrumental.

O que muitos não sabem é que a aplicação de recursos tecnológicos, como o uso de celulares e computadores, normalmente nos impede de pensar e atrofia a memória.

Até os compromissos pessoas do dia a dia ficam a cargo de agendas eletrônicas. Com o tempo, o uso da memória vai fi cando cada vez mais raro e quando precisamos dela para estudar, aprender e lembrar, deparamo-nos com um atrofiamento crítico pelo desuso.

Uma boa dica é tentar se lembrar do número do celular das pessoas que você vai ligar e digitá-los.Tem gente que não se lembra do telefone de casa, de tanto ligar direto pela agenda.

Ajude a melhorar sua memória dormindo bem; tendo uma alimentação saudável; fazendo uso de associações visuais, auditivas e sinestésicas: ver, ouvir e tocar, materializando mentalmente os temas estudados.

Faça uso do ABSURDO para criar associações aos assuntos estudados, por meio de três vias: humor, nojo e vulgaridade. Tudo o que é engraçado tem um poder melhor de ser aprendido e principalmente lembrado. Tudo o que gera nojo e repulsa estimula zonas cerebrais que favorecem o armazenamento das informações e experiências vivenciadas. A famosa "sacanagem" é campeã de audiência quando é necessário "manter o assunto na memória". Muito utilizada pela publicidade, a vulgaridade é extremamente eficiente para "temperar" os assuntos estudados.

Pode parecer absurdo, e é justamente por isso que funciona, mas tornar o assunto estudado algo fora do comum, desproporcional, engraçado, nojento e vulgar, facilita imensamente o processo de aprendizagem e lembrança.

Outro ponto importante e que pode ser o contrário do que muitos pensam, é que ler devagar atrapalha o desempenho nos estudos. Quando reduzimos a velocidade de leitura, sobra capacidade mental, e o cérebro encontra formas de se ocupar, focando em outras coisas que não a matéria atual.

Na tentativa de ocupar o excedente de capacidade mental, durante uma leitura lenta, opta-se por ler falando, sob a justifi cativa de "aprender duas vezes".Ledo engano.

Meus 12 anos de experiência como professor mostram que estimular a memória usando as técnicas de aprendizagem acelerada poupa os candidatos a concursos públicos da extrema perda de tempo e ajudam na conquista do tão sonhado cargo público.

OBS: Este artigo foi publicado na Coluna da Impetus no Jornal Folha Dirigida em 2011.

Fonte: Felipe Lima, autor da obra Mapas Mentais e Memorização, Impetus

Visitas: 584
Categorias: Todas as Notícias | Área Jurídica | Área Policial | Carreiras | Concursos | Concursos | Entrevista | Eventos | Facebook | OAB

0 Comentário(s)