Resenha da obra "Como usar o Cérebro para passar em provas e concursos" - Você sabe usar seu cérebro?

14 de Março de 2016 Geral

Primeiro você precisa saber o que é PNL (Programação Neurolinguística), que, segundo os autores é como lidar com nossa mente de forma a utilizá-la da melhor maneira possível e fazer com que trabalhe sempre a nosso favor.

Agora que já sabe o que é PNL, porque precisa dela:

                Caso esteja planejando prestar um concurso de médio ou longo prazo (pode ser um vestibular também) é necessário saber que além de estudar há necessidade de fazer uma preparação completa seja física, mental e até mesmo espiritual. Física, porque sabemos que muitas horas de estudo numa mesma posição sem uma pausa, ou ausência de alongamentos e exercícios físicos adequados trarão consequências dolorosas para seu corpo. Mental, porque passar em um concurso de qualquer porte exige que saiba lidar com flexibilidade diante dos obstáculos que vão aparecer como, por exemplo, com sua família e amigos nas circunstâncias em que não tenha apoio emocional deles; encontrar motivação suficiente para prosseguir com os estudos até o fim. Espiritual, porque nada garante que será bem-sucedido nos seus esforços, por isso, ter fé em Deus, nos seus estudos e em si mesmo é fundamental. E se não é “concurseiro”, nem “vestibulando”, mas dá aulas para este público-alvo há necessidade da leitura desse livro para direcionar seus livros ou apostilas visando a um melhor aproveitamento dos alunos.

                Esse livro vai ajudá-lo em vários aspectos além de lhe dar um suporte extra mental e emocional para ter uma mente forte e se manter em equilíbrio até mesmo no momento em que estiver fazendo sua prova.  

                Apesar dos autores indicarem outros livros para aprofundamento, o livro foi elaborado para ajudá-lo de forma completa.          

No capítulo 1 você aprenderá a estabelecer uma meta; estratégias de memorização; estudar de forma eficiente com um comportamento adequado; dicas para elaborar mapas mentais; exercícios para otimizar seus estudos, além da importância da assertividade.

No capítulo 2 há aplicações sobre a postura corporal e o processo de aprendizagem; postura dos professores; e a parte mais interessante é sobre como pode modelar aquela pessoa que lhe serve de inspiração nos depoimentos para gerar comportamentos semelhantes, sem falar da fórmula de sucesso do próprio William Douglas.

No Capítulo 3 temos as crenças limitantes; como funciona o processo de mudança; autoestima.

O Capítulo 4 fala do tempo na aprendizagem; como planejar sua vida de forma eficiente priorizando o mais importante, os estudos, em detrimento das distrações.

O Capítulo 5 nos remete à criatividade; estratégia Disney; pilates para o cérebro (sim, ele precisa de exercícios); e, mais interessante, as sugestões dadas pelo autor para você estimular seu cérebro, sair da rotina na busca de aprimoramento das suas habilidades e ao mesmo tempo aumento da concentração.

No Capítulo 6 a coautora do livro, Carmem Zara, dedica-se a explicar o que é programação neurolinguística, fundamentando através da utilização de bibliografias de autores renomados cada parte do cérebro; demonstra os ciclos de estudo, seu funcionamento sempre fazendo correlação com o aprendizado e o avanço de uma pessoa durante o estudo para concursos públicos. Há menção aos lados direito e esquerdo do cérebro e dicas de como aperfeiçoá-los.

O Capítulo 7 se propõe a ensinar um pouco sobre as habilidades do cérebro para que se conscientize de que ainda estamos tateando em busca da verdade sobre ele e, o mais importante, nos mostrando que ele tem habilidades extraordinárias, as quais, se exercitadas e tratadas de forma correta, podem nos levar a grandes conquistas e mudanças de vida, atitudes e até mesmo a lograr êxito em concursos difíceis.

O Capítulo 8 é um esforço consciente dos autores para programar e reprogramar seu cérebro tratando de temas polêmicos como inveja; preconceito e discriminação; concentração no estudo; estudo e lazer; alimentação; medo de fazer provas; horário de dormir; fugas mentais; remarcação do cartão-resposta nas provas e deixar de ler questões.

No Capítulo 9 há a preocupação dos autores para que seja capaz de perceber que sua opinião sobre si mesmo afeta diretamente seus resultados, além da abordagem de diversas técnicas com as mais variadas utilidades.

No Capítulo 10, segundo os autores, a atitude determina boa parte do que você é e do que vai fazer e menciona um ponto importante caso queira se sair melhor mental e fisicamente, emocional e intelectualmente, para passar em concursos, dizendo que siga esses conselhos: não deseje mal, não torça contra, não olhe para quem está melhor do que você e sofra. Faça o seguinte: deseje o bem, torça a favor, olhe para os caras que estão à sua frente e anime-se a perseguir sua melhoria pessoal. Se fizer isso, seu desempenho global será extremamente aperfeiçoado.

O Capítulo 11 fala sobre equilíbrio emocional, relacionamentos e aumento de desempenho.

O Capítulo 12 nos ensina sobre a aplicação do pensamento positivo.

O livro termina com uma listagem de vasta bibliografia e orientações sobre o seu conteúdo.

Espero que tenham gostado da resenha desse livro e fiquem tão empolgados para ler como eu estou ao finalizar a leitura.

 

 Abraços,

                                             

Fonte: Anne Pacheco - Moderadora do Grupo ConcursoFiscal

Visitas: 864
Categorias: Todas as Notícias | Área Jurídica | Área Policial | Carreiras | Concursos | Concursos | Entrevista | Eventos | Facebook | OAB

0 Comentário(s)