Denilson Feitoza

Denilson Feitoza Pacheco é Doutor em Direito e Mestre em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Master of Arts in Open and Distance Education pela Open University (Reino Unido).

Procurador de Justiça em Minas Gerais.

Coordenador dos cursos de pós-graduação em "Inteligência de Estado e Inteligência de Segurança Pública" e em "Ciências Penais, Justiça Criminal e Criminologia", bem como coordenador-geral dos cursos, projetos e pesquisas na área de inteligência governamental, na Fundação Escola Superior do Ministério Público de Minas Gerais (FESMPMG), onde foi seu diretor-geral (cargo posteriormente denominado Diretor-Presidente) por quase quatro anos.

Presidente da IALEIA-BR (Associação Internacional de Analistas de Inteligência de Segurança Pública - Capítulo Brasil ou International Association of Law Enforcement Intelligence Analysts - Chapter Brazil). Ex-presidente e atual diretor científico do Instituto Brasileiro de Inteligência Criminal (INTECRIM). Diretor acadêmico da Associação Brasileira de Professores de Ciências Penais (ABPCP).

Professor de direito processual penal, de metodologia da pesquisa científica e de inteligência de Estado e inteligência de segurança pública (inteligência governamental), no nível de pós-graduação.

Pesquisador doutor no Centro de Estudos Estratégicos e Inteligência Governamental (CEIG), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Coordenador da série "Inteligência, Segurança e Direito", da Editora Impetus, que é a primeira do gênero no país.

Trabalha há vinte e oito anos na área criminal (dezenove anos como membro do Ministério Público e nove anos como policial), tendo atuado sempre intensamente, em variadas áreas, como crime em geral, entorpecentes, tribunal do júri, Justiça Militar, Justiça Eleitoral, crimes falimentares e "crime organizado" (organizações criminosas) e, finalmente, no plantão de habeas corpus do Tribunal de Justiça e na Procuradoria Criminal do Ministério Público de Minas Gerais. Nessa linha, também trabalhou com atos infracionais, na área da infância e juventude.

Foi um dos principais responsáveis, como membro fundador, pela criação de uma associação estadual e de três associações nacionais, nas quais idealizou os princípios, os objetivos, os instrumentos e a estrutura orgânica: Instituto de Ciências Penais - ICP (ex-diretor de comunicações); Associação Brasileira de Ciências Penais - ABPCP (diretor acadêmico, ex-diretor financeiro, ex-conselheiro científico e ex-diretor secretário), Associação Brasileira de Filosofia do Direito e Sociologia do Direito - ABRAFI (ex-diretor secretário) e Instituto Brasileiro de Inteligência Criminal - INTECRIM (ex-presidente e atual diretor científico). A ABRAFI foi reconhecida como seção nacional da Internationale Vereinigung für Rechts-und Sozialphilosophie (IVR).

É membro de várias associações internacionais, como Association Internationale de Droit Pénal (AIDP), Internationale Vereinigung für Rechts-und Sozialphilosophie (IVR), International Association of Law Enforcement Intelligence Analysts (IALEIA), International Council for Open and Distance Education (ICDE), International Association for Intelligence Education (IAFIE) e International Studies Association (ISA).

Exerceu vários cargos, funções e atividades de grande relevância:

- ex-coordenador de planejamento institucional (COPLI) do Ministério Público de Minas Gerais, onde foi responsável, por quase quatro anos, pela gestão do conhecimento, pelos projetos especiais e pelo planejamento estratégico de todas as suas áreas, como modernização institucional-administrativa, infância e juventude, meio ambiente, patrimônio cultural, urbanismo e habitação, defesa do consumidor, saúde, pessoa portadora de deficiência, idosos, terceiro setor, patrimônio público, direitos humanos, conflitos agrários, combate ao crime organizado, ordem econômica e tributária, criminal geral, execução penal, tribunal do júri e auditoria militar;

- ex-coordenador do Centro de Segurança e Inteligência Institucionais (CESIN) do Ministério Público de Minas Gerais, onde foi responsável, por cerca de quatro anos, pela segurança institucional e pelas atividades de inteligência;

- ex-secretário-geral do Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (GNCOC) por quase três anos - órgão operacional que congrega os 26 Ministérios Públicos estaduais, o Ministério Público Federal (MPF), o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), o Ministério Público Militar (MPM) e o Ministério Público do Trabalho (MPT);

- ex-coordenador do Grupo de Inteligência dos Ministérios Públicos (GIMP), atual Grupo de Segurança Institucional (GSI);

- ex-coordenador do Grupo de Tecnologia da Informação dos Ministérios Públicos (GTI);

- ex-conselheiro de defesa social do Estado de Minas Gerais;

- ex-membro e um dos idealizadores do Gabinete de Gestão Integrada de Segurança Pública do Estado de Minas Gerais;

- ex-coordenador-geral d