Entrevista com William Douglas

17 de Dezembro de 2012 Entrevista
Muitos concurseiros se esforçaram durante todo o ano de 2012, mas não conseguiram ser aprovados em um concursos público. O que o senhor diria a eles?
Antes de mais nada, reforço o mantra "concurso não se faz para passar, mas até passar". Não ser aprovado em um concurso é normal e o concurseiro, de modo algum, deve se sentir "inferior" ou "incompetente" por ter enfrentado uma reprovação. É necessário ver as reprovações e, também, os desvios de percurso, como são: espiões que detectam suas falhas e os pontos que ainda podem ser melhorados em sua preparação. Digo isso no meu livro Arte da Guerra para Provas e Concursos (Ed. Campus/Elsevier, 2011)
Portanto, se você, concurseiro, ficou reprovado, ou foi aprovado, mas não classificado. Observe seu rendimento, continue os estudos e não desista! Se sua preparação é empenhada e consistente, você vai se sair bem.

Quais são os principais métodos de estudo que o concurseiro deve adotar sempre?
Existem milhares de técnicas de estudo - falo sobre a maioria delas em meu livro Como passar em provas e concursos (Ed. Impetus, 2012) ou seu Resumo (Ed. Impetus, 2012), mas um ponto na preparação que acho absolutamente indispensável é a iniciativa de fazer provas e questões. Um concurseiro que não faz questões está fadado ao insucesso isso porque as questões irão prepará-lo para o cenário de prova, para o estilo da banca, para colocar todo aquele conteúdo que ele vem estudando na prática.
Portanto, esteja o concurseiro fazendo um cursinho ou estudando exclusivamente em casa - que é uma realidade para muitos - fazer questões é indispensável.
Para além disso, não diretamente relacionado ao método de estudo, mas à administração do tempo que ele tem para estudar, todo concurseiro deve ter montado seu quadro horário.

Em tempo de festas, como o concurseiro deve organizar seus estudos?
Ficar com a família não é perda de tempo, mas ganho em qualidade de vida, portanto, nas festas, aproveite os momentos com aqueles que ama. Lembre-se de dar todo aquele carinho e atenção que você tem deixado de dar em virtude do tempo de estudo. E, claro, Natal e Ano Novo são apenas 2 dias no mês. O concurseiro pode criar um ritmo de estudo que leve em conta festas, visitas de parentes e amigos, mas não deve perder o embalo dos estudos, essa é uma época do ano importante para os estudos e que poucas pessoas levam em conta.

Ele deve reservar um espaço para a família e para possíveis viagens?
Como disse anteriormente, ficar com a família não é perder tempo, mas ganhar, ou seja, ele sempre deve reservar tempo para a família. Portanto, se sua família vai viajar e você quer aproveitar o tempo com ela, vá. Aproveite o tempo com aqueles que você ama, consciente de que essa é sua opção naquele momento. Não fique pensando que você poderia estar estudando.
Agora, se você quer aproveitar o "descanso" para estudar, volte suas baterias para os estudos e não fique pensando na viagem, no tempo com a família, isso apenas gera ansiedade e diminui muito seu ritmo de aprendizado.

O senhor poderia enviar uma mensagem de Natal aos concurseiros do Brasil?
O ano que está por vir é apenas massa de modelar. Ele será o que você fizer dele. Desejo que você aproveite bem essa oportunidade. Creio muito no barro, ou seja, na "matéria-prima", mas creio mais ainda nas mãos de quem, disposto a dar forma aos sonhos, coloca nele suas mãos para moldá-lo. A vida é a matéria-prima. O que recebemos e somos é tudo o que temos para moldar o porvir.
Confio em quem imagina uma forma e suja as mãos, força a mente e sua o corpo para dar vida ao pensamento. Que nós recebamos o imponderável com a mesma disposição que o oleiro recebe a massa disforme do produto da terra.
Se você quer um bom natal, escolha se tornar consciente de suas escolhas e fazer as melhores, ou seja, aquelas que você sabe que serão as sementes do que você quer colher. Nosso tempo e nosso país são "boa terra" e nós e nosso esforços são a "boa semente" e, como disse Jesus, "a boa semente, em terra boa, da muitos frutos" (Mateus 13.23).
Seja você um agente de transformação de terra em arte, da Terra em casa, do porvir em algo ainda mais fascinante do que o já fascinante presente: esse lugar onde nos movemos em direção ao misterioso.

Fonte: Redação Impetus News

Visitas: 822
Categorias: Todas as Notícias | Área Jurídica | Área Policial | Carreiras | Concursos | Concursos | Entrevista | Eventos | Facebook | OAB

0 Comentário(s)