Jogo educativo é arma no combate ao bullying em Minas Gerais

08 de Outubro de 2010 Área Jurídica
Mais de 4.500 cartilhas impressas sobre como prevenir, identificar e combater o bullying devem ser distribuídas gratuitamente em Minas Gerais, primeiramente na Região do Vale do Rio Doce. A publicação com o título Vigilantes do Bullying deve chegar às mãos de professores e pais de alunos da rede pública de ensino ainda neste mês. Bullying são atos repetitivos de violência praticados contra alguém sem motivação evidente. Podem acontecer tanto em meio escolar, quanto profissional.

O reforço contra o ato de violência foi escrito pelo promotor de Justiça de Governador Valadares, Lélio Braga Calhau, que fez uma palestra sobre o assunto ontem, durante a abertura da Semana do Ministério Público 2010. A programação da semana segue até o dia 17 de setembro e é aberta ao público.

A cartilha é um jogo educativo no qual os pais e educadores vão interagir com crianças, de até 12 anos, na identificação e conscientização sobre a agressão. Segundo o promotor, "foi feita uma trilha na qual o participante vai somando ou subtraindo pontos de acordo com as suas respostas", exemplifica. Em uma das questões, descreve, há o tema: trate as pessoas como você gostaria de ser tratado". De acordo com Calhau, há várias possibilidades de respostas, e é nesse processo que os pais e educadores vão passando as noções de respeito ao próximo.

O promotor diz que, atualmente, o bullying pode acontecer até em meios virtuais, no também chamado cyberbullying, mas não tem dados sobre a ocorrência do problema. Na porta da Escola Estadual Pandiá Calógeras, região centro-sul de Belo Horizonte, o tema é alvo de conversa de muitos alunos. A adolescente I.C.T.C., 17 anos, diz que já viu muitos amigos retirarem seus perfis de rede sociais por se tornarem alvo de "zoações". A colega da adolescente, M.G.S., 15 anos, diz que até brigas são marcadas pela web e por torpedos, via celular. Em Belo Horizonte, está em fase de votação o Projeto de Lei Nº 596/2009, estabelecendo normas de ação para o combate e prevenção ao bullying.

O promotor de Justiça cita uma pesquisa da Abrapia (Associação Brasileira Multiprofissional de Proteção à Infância e à Adolescência)), que aponta mais de 60% dos casos em sala de aula - daí a importância da inclusão dos professores na ação.

A Região do Vale foi escolhida para a primeira distribuição do material por ter sido alvo de um Inquérito Civil que propôs a investigação sobre o que tem sido feito na cidade para combater o bullying. Segundo Calhau, "a secretaria municipal já apresentou o pré-projeto para prevenir e repreender essa prática. O promotor também abriu um inquérito semelhante contra o Estado.

A iniciativa da cartilha é do Ministério Público de Minas Gerais, por meio da Promotoria de Justiça de Governador Valadares. O material também será disponibilizado no site Centro de Apoio Operacional da Infância do Ministério Público.

Nesta terça-feira (14), a Semana do Ministério Público também terá palestras sobre Direitos Humanos e sobre Patrimônio Público. As palestras estão sendo realizadas na Avenida Álvares Cabral, 1.690, Bairro Santo Agostinho, na capital mineira.

Fonte: Portal R7

Visitas: 180
Categorias: Todas as Notícias | Área Jurídica | Área Policial | Carreiras | Concursos | Concursos | Entrevista | Eventos | Facebook | OAB

0 Comentário(s)