Polícia Federal pode aplicar suas provas ainda este ano

22 de Setembro de 2011 Área Policial
Segundo a Assessoria de Imprensa do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, existe a possibilidade das provas do concurso para agente e papiloscopista da Polícia Federal (PF) serem realizads ainda este ano. Para isso, no entanto, sera necessário que o Ministério do Planejamento autorize a seleção ainda este mês.

Isso porque, embora tenha afirmado que PF está preparada para abrir o concurso tão logo saia a autorização, o diretor de Gestão de Pessoal do departamento, delegado Maurício Leite Valeixo, estimou que são necessários cerca de 45 dias entre a publicação da portaria autorizativa e a divulgação do edital, tendo em vista as providências necessárias, como por exemplo a escolha e a contratação da organizadora.

Somada a isso, deve-se observar que o Decreto 6.944/09, que dispõe sobre normas relativas a concursos públicos federais, estabelece um intervalo mínimo de 60 dias entre a publicação do edital e a realização da primeira prova.

Mesmo que a probabilidade da autorização do concurso sair ainda este mês seja pequena (haja vista a seleção do INSS, que teve a permissão da presidente Dilma Rousseff anunciada em julho, pelo Ministério da Previdência, e ainda não foi oficialmente liberada), as informações do Ministério da Justiça demonstram a urgência com que está sendo tratada a questão.

Segundo a Federação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (Fenadepol), em reunião recente o ministro Cardozo chegou a "assegurar"a abertura de 500 vagas ainda este ano. À Folha Dirigida, o delegado Valeixo, informou que a expectative é que a permissão seja concedida até o final de outubro.

Em números exatos, são aguardadas 512 vagas, sendo 396 de agente e 116 de papiloscopista. Ainda Segundo Valeixo, outras 512 oportunidades, 362 de escrivão e 150 de delegado, são esperadas para o primeiro semester do ano que vem. Essas novas vagas em 2012 também teriam sido garantidas pelo ministro Cardozo aos representantes dos delegados.

O diretor de Comunicação da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Josias Fernandes, afirmou que a entidade torce para que as expectativas com relação à abertura dos concursos do departamento se concretizem. "São mais do que necessários, principalmente para agente e escrivão. Há delegacias em que a relação entre o número de agentes e o de delegados é quase de um para um", contou, exemplificando o déficit de agentes da PF.

Fonte: Folha Dirigida

Visitas: 97
Categorias: Todas as Notícias | Área Jurídica | Área Policial | Carreiras | Concursos | Concursos | Entrevista | Eventos | Facebook | OAB

0 Comentário(s)