Quem tem medo do TAF?

07 de Agosto de 2012 Área Policial
Então, depois de tantos concursos feitos, você resolve encarar um ligado à área policial. Melhor dizendo: você decidiu que vai se inscrever no exigente concurso da Polícia Federal.

Anos a fio de coluna curvada, todos os dias. Horas diárias de estudo que o obrigam a ficar sentado, só lendo. Você está indisfarçavelmente branco. A única luz que vê é a da luminária que clareia o seu precioso material de estudo. Líquido? Café. Em momentos mais exigentes, um energético.

E você descobre que já não basta ser bom de "X". Não basta estar afiado com os informativos de jurisprudência, com a última teoria da moda. Você precisa se mexer, e em curto espaço de tempo. Você vai encarar o temido TAF - Teste de Aptidão Física.

Você reluta, questiona, esbraveja. "Para que tudo isso? Barra fixa? Corrida?" Até que, enfim, aceita. Afinal, se quer encarar este concurso, você TERÁ de enfrentar esse bicho-papão.

Mas será mesmo um bicho-papão? Ou será a chance que lhe faltava para sair do sedentarismo e andar nessa estrada dos concursos com o corpo e a mente sãos?

Para quem ainda não leu o edital da Polícia Federal e não tem muita ideia do que seja, tenho uma má notícia: é difícil. Um sedentário não será capaz de fazer esse teste. As marcas são exigentes e você não conseguirá ser aprovado dando aquela "corridinha" 15 dias antes do exame. Posso falar com a experiência de quem adotou a corrida como esporte há algum tempo e também se prepara para um TAF.

Só para que se tenha ideia, a marca mínima de corrida de 12 minutos, para os homens, deve superar os 2.350 metros. Do contrário você estará eliminado. Isso significa que, na pior das hipóteses, você terá de correr, em média, a quase 12 Km/h, um ritmo bem forte. Isso requer treinamento, não se consegue da noite para o dia. Fora os testes de barra fixa, o de impulsão e o de natação.

Sim, natação! Infelizmente vivemos em um país onde não existe a cultura do esporte. Não é raro encontrar com pessoas que, por razões diversas, não sabem nadar. Mas concurseiro é uma espécie sabida. Onde os outros veem problema, ele vê oportunidade.

No cronograma anterior à suspensão, a prova objetiva estava marcada para 19 de agosto, e a prova física, para meados de outubro. Fica claro que a organizadora e a instituição não querem procrastinar o concurso. Retomado o andamento do mesmo, já temos um indício de que da prova objetiva para a prova física teremos cerca de 60 (sessenta) dias. Isso é pouco. A hora de se preparar é agora.

E trazendo para a nossa realidade, convenhamos: nós sempre treinamos questões, fazemos simulados etc. Qual a razão para que a mesma postura não seja adotada na preparação para o TAF? Você que ainda está meio preguiçoso, precisa entender que esta suspensão pode significar transformar uma iminente reprovação em uma feliz aprovação. É o seu ponto de virada, sua hora "H". Medo do TAF só tem quem não está se preparando. E concurseiro sabe o valor de uma oportunidade desperdiçada.

Mas quero, ainda, trazer uma reflexão para aqueles que já estão se condicionando. É importante não se acomodar, mesmo quando bons resultados já estejam sendo alcançados nos treinos. É preciso pensar que você pode, no dia do TAF, estar mal fisicamente, com um resfriado, ter dormido mal etc. Sem contar que muitos terão de encarar uma viagem para tal prova. Então, a preparação tem de ter um norte não nas marcas, mas no que há além delas.
Você deve estar preparado para fazer todo o TAF, ainda que em condições adversas.

Algumas atitudes podem ser tomadas nesta preparação (ou antes dela):

- Procure um médico e um bom profissional de educação física. Não hesite em mudar se ele não estiver dando atenção necessária ao seu objetivo;

- Aproveite o esporte para mudar velhos hábitos e introduzi-lo na sua rotina de modo definitivo, independentemente do TAF;

- Coma e durma melhor. Isso fará você se sentir mais alerta nos estudos, enquanto o seu concorrente estará com a mente estafada;

- Emagreça. Pense na sobrecarga e na dificuldade que é fazer barra fixa ou corrida com dois sacos de arroz amarrados na cintura;

- Tenha bom senso para não se machucar. Evite os esportes de contato, ainda que você os pratique há muito tempo. Imagine o quão legal será se você levar uma "entrada" na pelada do prédio faltando uma semana para o seu TAF;

- Tenha garra. Ninguém falou que ia ser fácil. Mantenha uma atitude positiva nos momentos de maior desânimo ou fadiga. Acredite que é possível.

Hoje, o concurso da Polícia Federal se encontra suspenso. Ainda bem. Já não bastavam as dificuldades inerentes ao Direito, ter de se preparar para uma prova física requer dedicação e tempo. O TAF era o que faltava para sair desse sedentarismo. Se, ao final, você for reprovado, mas chegar sem barriga, pode ter certeza de que já estará no lucro.

Autor: MOCAM
www.blogdomocam.com.br / www.forumdomocam.com.br

Fonte: Blog do MOCAM

Visitas: 1738
Categorias: Todas as Notícias | Área Jurídica | Área Policial | Carreiras | Concursos | Concursos | Entrevista | Eventos | Facebook | OAB

0 Comentário(s)