O que faz um Auditor Federal de Controle Externo do TCU?

25 de Outubro de 2012 Carreiras
Entrevistamos nesta edição o professor e Auditor Federal Thiago Strauss, ele é autor da Coleção Revisão por Mapas Mentais, uma parceria entre a Editora Impetus e a Editora Pontos. Veja as dicas que o autor dá sobre sua carreira.


O que faz um Auditor Federal de Controle Externo do TCU?
O Auditor Federal de Controle Externo do TCU atua, basicamente, na fiscalização da aplicação dos recursos públicos federais. Dessa forma, verifica se os gastos públicos federais (despesas) estão sendo aplicados em conformidade com o ordenamento jurídico (auditorias de conformidade) e de forma eficiente e eficaz (auditorias de desempenho).

Quais as principais funções desse funcionário público?
Dentre as suas atribuições, as principais são a realização de auditorias e a instrução de processos que auxiliarão os ministros no julgamento das contas dos gestores públicos.
Quais os principais desafios?
Posso citar, como principais desafios, a atuação seletiva, que permite ao auditor fiscalizar pontos em que haja maior risco de irregularidades, e o desafio relacionado ao julgamento das contas, que, por afetar os gestores, traz enorme responsabilidade para o auditor.

Ademais, sua atuação demanda um elevado grau de conhecimento sobre o objeto fiscalizado, exigindo, por conseguinte, muito estudo por parte dos auditores.
Como é o dia a dia desse profissional?
Os auditores do TCU exercem suas atribuições no Tribunal ou, quando em fiscalização, nos órgãos e entidades da Administração Pública. No TCU, tem certa autonomia quanto ao horário de trabalho, desde que cumprida a carga horária mensal. Tem também um sistema de avaliação de desempenho pautado por metas individuais bem definidas.

Esta profissão pode ser estressante? Por quê?
Não diria isso. O TCU é um órgão que preza pela qualidade de vida dos seus servidores. Contudo, a atuação do Auditor Federal exige muito empenho, dedicação e conhecimento. Desse modo, acho que trabalhar no TCU é sempre um desafio e, ao mesmo tempo, um ofício gratificante.

O senhor considera difícil a prova para passar nesse concurso? Quanto tempo estudou até passar?
A prova do TCU é, sem sombra de dúvidas, uma das mais concorridas da Administração Pública. Particularmente, não gosto do termo "difícil". Eu diria que, para ser aprovado no TCU, é necessário muito empenho. O tempo para aprovação vai depender da situação do candidato. Quando comecei a estudar para o Tribunal, não tinha a menor experiência em concursos públicos. Ademais, trabalhava 8 horas por dia. Em decorrência disso, acabei demorando um pouco a passar. Acho que estudei aproximadamente por três anos.

Qual é para o senhor o maior obstáculo para os concurseiros que querem passar nesse concurso?
Acredito que o maior desafio da prova do TCU está relacionado à quantidade de matéria e à profundidade exigida, uma vez que, além das provas objetivas, existem quatros provas discursivas. Nessas provas, é cobrada a aplicação dos conhecimentos em casos concretos. Em função disso, o candidato que não se prepara adequadamente, não consegue atingir a nota mínima nas discursivas.

Há alguma disciplina que se precisa estudar mais?
Eu acredito que, para passar no TCU, o candidato deve ter um conhecimento razoável em todas as matérias do edital. Não adianta ser, por exemplo, especialista em Direito Administrativo e saber pouco de Controle Externo. Desse modo, não se deve priorizar, na preparação, determinadas matérias em detrimento de outras.

Fonte: Redação Impetus News

Visitas: 16903
Categorias: Todas as Notícias | Área Jurídica | Área Policial | Carreiras | Concursos | Concursos | Entrevista | Eventos | Facebook | OAB

0 Comentário(s)