Concurso MPU: saiu edital com vagas de até R$ 8,1 mil

20 de Janeiro de 2015 Concursos

Aguardado desde o começo do ano passado, o concursopara analista e técnico do Ministério Público da União (MPU)finalmente teve o edital publicado nesta quarta-feira (14). O órgão vai selecionar 25 profissionais para vagas imediatas e formar cadastro reserva. 

Há oportunidades para 12 Estados, entre eles São Paulo e Rio de Janeiro, além do Distrito Federal. A maioria das oportunidades (13) é para atuar no Distrito Federal. Os demais Estados têm uma oportunidade cada.
Prepare-se: Vídeoaulas para MPU.
Prepare-se: Edição Digital do Jornal dos Concursos.

Aqueles que têm ensino médio completo podem se inscrever no concurso do MPU para uma das 22 vagas para o posto de técnico na área de apoio técnico administrativo na especialidade de segurança institucional e transporte. Além da escolaridade, o órgão exige que os candidatos também tenham Carteira Nacional de Habilitação  (CNH) nas categorias “D” ou “E”. O salário inicial do cargo é de R$ 5.007,82.  Os aprovados nesta ocupação poderão atuar no Distrito Federal (10 vagas) e nos seguintes Estados (cada um com uma oportunidade): Amazonas, Amapá, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso, Pará, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rondônia, Rio Grande do Sul e São Paulo.

As três demais oportunidades abertas no concurso do MPU são para o posto de analista na área de apoio técnico-administrativo nas especialidades finanças e controle; atuarial e engenharia química. Voltadas para candidatos formados no nível superior, as ofertas têm remuneração mensal inicial de R$ 8.178,06 e são para lotação no Distrito Federal. 

A jornada de trabalho de ambos os cargos é de 40 horas semanais.

 

Inscrição

Os interessados podem se inscrever no concurso do MPU no site da Cespe/UnB(www.cespe.unb.br) a partir de 23 de janeiro até 11 de fevereiro. 
Para a ocupação de técnico, o valor da taxa de participação é de R$ 110; para a de analista é de R$ 140. O pagamento da taxa de inscrição deverá ser efetuado até o dia 3 de março.
 

Processo seletivo

Todos os candidatos do concurso do MPU deverão fazer uma prova objetiva a ser aplicada em 22 de março nas capitais de todos os Estados brasileiros e no Distrito Federal. Os exames contarão com 120 questões sobre conhecimentos básicos e conhecimentos específicos.
Veja também: DPU planeja concurso com 2.751 vagas

Os candidatos ao posto de analista deverão realizar uma avaliação discursiva, que será aplicada no mesmo dia do teste de múltipla escolha. Já os inscritos para o posto de técnico deverão passar por mais fases na seleção. Além do exame escrito passarão por um teste de aptidão física, uma avaliação médica e um programa de formação. O último será aplicado na cidade de Brasília, sem data definida.

Sobre o MPU

O Ministério Público da União - formado pelo Ministério Público Federal, Ministério Público do Trabalho, Ministério Público Militar e Ministério Público do Distrito Federal e Territórios - é chefiado pelo Procurador-Geral da República, escolhido e nomeado pelo Presidente da República, após a aprovação de seu nome pela maioria absoluta dos membros do Senado Federal.
A organização, as atribuições e o estatuto do Ministério Público da União divergem do Ministério Público dos Estados. Enquanto o MPU é regido pela Lei Complementar nº 75/1993, o MPE rege-se pela Lei nº 8.625/1993.
Ao MPU é assegurada autonomia funcional, administrativa e financeira. Sendo as carreiras dos membros dos diferentes ramos independentes entre si. Dessa forma, para ser membro do MPF, deve-se prestar concurso público para o MPF. Para ser membro do MPT, deve-se prestar concurso para o MPT, e assim por diante. Quanto a carreira técnico-administrativa, esta é única para todo o MPU. O candidato presta concurso público para o MPU e pode ser lotado em qualquer um dos ramos.
O que o MPU faz?
a) defesa da ordem jurídica, ou seja, o Ministério Público deve zelar pela observância e pelo cumprimento da lei.
b) defesa do patrimônio nacional, do patrimônio público e social, do patrimônio cultural, do meio ambiente, dos direitos e interesses da coletividade, especialmente das comunidades indígenas, da família, da criança, do adolescente e do idoso.
c) defesa dos interesses sociais e individuais indisponíveis.
d) controle externo da atividade policial. Trata-se da investigação de crimes, da requisição de instauração de inquéritos policiais, da promoção pela responsabilização dos culpados, do combate à tortura e aos meios ilícitos de provas, entre outras possibilidades de atuação. Os membros do MPU têm liberdade de ação tanto para pedir a absolvição do réu quanto para acusá-lo.

Fonte: Camila Lira

Visitas: 660
Categorias: Todas as Notícias | Área Jurídica | Área Policial | Carreiras | Concursos | Concursos | Entrevista | Eventos | Facebook | OAB

0 Comentário(s)