AGUARDE, PROCESSANDO

Polícia Federal: Meta é formar 1.000 policiais por ano, via concursos

29 de Setembro de 2011
As informações são do diretor de Gestão de Pessoal da PF, delegado Maurício Leite Valeixo.

Valeixo, que confirmou a programação de concursos para 1.024 vagas entre o fim desse ano e o início do ano que vem - nos cargos de agente (396), escrivão (362), papiloscopista (116) e delegado (150) - afirmou que as solicitações de concurso do órgão vão além. "Temos pleitos sucessivos de concursos, até para ir reforçando o efetivo até os grandes eventos", revelou.

De acordo com o delegado, a previsão de concursos é limitada pela capacidade da Academia Nacional de Polícia (ANP), em Brasília, onde são formados os novos policiais. "Temos a capacidade de 1.024 candidatos por ano na academia. Queremos trabalhar com a nossa capacidade máxima de formação até repor todo o efetivo, até preenchermos todos os cargos", explicou. "Naturalmente, desde que seja aprovada pelo Ministério do Planejamento a realização desses concursos", completou.

Concursos também para perito

Com o objetivo de preencher todo o quadro previsto em lei para a PF, serão retomados, inclusive, os concursos para perito, cargo para o qual não há seleção desde 2004. O cargo tem como requisito o ensino superior completo, em área específica a ser definida no edital do concurso, e proporciona remuneração inicial idêntica a de delegado.
De acordo com o diretor de Gestão de Pessoal do departamento, um novo concurso para o cargo está programado para 2013, com oferta girando em torno de 150 a 180 vagas. Segundo ele, o número poderá variar em função das aposentadorias. "O pedido já foi formalizado, ele só vai ser atualizado."

O dirigente esclareceu que o departamento está trabalhando segundo as suas possibilidades. "Estamos trabalhando o planejamento de forma anual. O que posso fazer em 2012 é esse quadro de mil vagas. No mesmo ano já vou estar trabalhando com a autorização para os concursos de 2013."

Aposentadorias reforçam necessidade

Segundo o delegado Valeixo, a promoção de novos concursos para a carreira de policial federal é motivada também pelo grande número de aposentadorias que vem sendo registrado. "É muito importante o ingresso de novos policiais. Estamos tendo aposentadorias. Em média, 600 por ano. Temos não só que repor, mas também reforçar o efetivo."

Ele afirmou que a ampliação do efetivo deve ir além de 2013, ano que antecede a realização da Copa do Mundo no Brasil, em função justamente da capacidade da ANP. "Não tenho como formar 2 mil policiais por ano." Valeixo ressaltou, no entanto, que a programação prevê um trabalho frequente de formação de novos policiais federais. "Existe todo um planejamento para que até a realização dos grandes eventos a academia esteja promovendo inúmeros cursos de formação."

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro a avaliar.